A Propriedade e as vinhas

Estudos de zoneamento da propriedade

Todas as condições do terreno, elevação, conformação, exposição aos ventos e microclimas, contribuem para que o Castello di Montepò afirme o princípio de um terroir único e uma vitivinicultura voltada para a excelência.
A Propriedade e as vinhas

Estudos de zoneamento da propriedade

Todas as condições do terreno, elevação, conformação, exposição aos ventos e microclimas, contribuem para que o Castello di Montepò afirme o princípio de um terroir único e uma vitivinicultura voltada para a excelência.

A

 uma altitude entre 300 e 460 metros voltados para Sul e Sudoeste, ao longo das encostas suaves do Maremma, na Toscana, estão os vinhedos do Castello di Montepò, 50 hectares dos 600 que a propriedade agora possui. Vinhas, olivais e terras aráveis, rodeadas de bosques de corte a Sul de Grosseto, paralelo à fortaleza Aldobrandesca di Talamone, um lugar precioso que Jacopo Biondi Santi, através da experiência histórica da sua família, pacientemente transformou no centro do seu moderno projeto enológico. Mas o valor da quinta não reside apenas na sua beleza intrínseca, capaz de conquistar de imediato e sem esforço o coração de quem a observa, porque a escolha do terreno a que está associado um tão importante patrimônio vitivinícola não pode ser dissociada da absoluta precisão e certeza.

N

esse sentido, a floresta passa a ser o meio para se adquirir dados experienciais, como a detecção das condições de umidade no interior das fileiras, as temperaturas diurnas e noturnas e a intensidade da ventilação. Dados essenciais para a prática da vitivinicultura de precisão. Para apoiar o papel natural dos bosques, uma ampla rede de estações de detecção meteorológica recolhe e armazena as medições em tempo real, disponibilizando uma coleta detalhada da tendência histórica do microclima da propriedade para análises comparativas de médio e longo prazo.

A

 uma altitude entre 300 e 460 metros voltados para Sul e Sudoeste, ao longo das encostas suaves do Maremma, na Toscana, estão os vinhedos do Castello di Montepò, 50 hectares dos 600 que a propriedade agora possui. Vinhas, olivais e terras aráveis, rodeadas de bosques de corte a Sul de Grosseto, paralelo à fortaleza Aldobrandesca di Talamone, um lugar precioso que Jacopo Biondi Santi, através da experiência histórica da sua família, pacientemente transformou no centro do seu moderno projeto enológico. Mas o valor da quinta não reside apenas na sua beleza intrínseca, capaz de conquistar de imediato e sem esforço o coração de quem a observa, porque a escolha do terreno a que está associado um tão importante patrimônio vitivinícola não pode ser dissociada da absoluta precisão e certeza.

N

esse sentido, a floresta passa a ser o meio para se adquirir dados experienciais, como a detecção das condições de umidade no interior das fileiras, as temperaturas diurnas e noturnas e a intensidade da ventilação. Dados essenciais para a prática da vitivinicultura de precisão. Para apoiar o papel natural dos bosques, uma ampla rede de estações de detecção meteorológica recolhe e armazena as medições em tempo real, disponibilizando uma coleta detalhada da tendência histórica do microclima da propriedade para análises comparativas de médio e longo prazo.

U

m acervo indispensável de informações que permite à empresa acompanhar a evolução do clima como um todo, ano após ano, mesmo em macro, e não apenas por subzona, com índices de chuvas, umidade dentro e fora das fileiras, temperaturas diurnas e noturnas, orientação e força do vento. Medidas e parâmetros que, no entanto, não desconsideram a presença do homem na vinha, pois a vitivinicultura de precisão exige proximidade.

A

  esses dados e estudos somam-se os fundamentais sobre o terreno. Os solos argilosos de origem eocena onde crescem as vinhas do Castello di Montepò, depois de avaliados e medidos por um grupo de professores das Universidades de Pisa e Florença, foram considerados ideais para o cultivo do clone Sangiovese Grosso BBS11, patrimônio familiar exclusivo Biondi Santi que, há mais de um século e meio, deu à luz o Brunello di Montalcino. Para além dos aspectos geológicos e orográficos, os estudos microzonais são concentrados também nos índices vegetativos e nas características do microclima, recolhendo uma quantidade significativa de dados – atualizados anualmente – que levam todos à mesma conclusão: é nestes morros que a identidade dos vinhos da família Biondi Santi teria conservado sua essência. Uma identidade que responde não só ao Sangiovese, mas também a duas variedades internacionais como Merlot e Cabernet Sauvignon. Depois de ter defendido por muito tempo as terras dos homens, o Castello di Montepò é hoje o guardião da grande tradição enológica que o nome de Jacopo Biondi Santi representa, uma referência para um estilo enológico e um requinte apurado que marcaram a supremacia de Sangiovese entre os vinhos de excelência absoluta.

U

m acervo indispensável de informações que permite à empresa acompanhar a evolução do clima como um todo, ano após ano, mesmo em macro, e não apenas por subzona, com índices de chuvas, umidade dentro e fora das fileiras, temperaturas diurnas e noturnas, orientação e força do vento. Medidas e parâmetros que, no entanto, não desconsideram a presença do homem na vinha, pois a vitivinicultura de precisão exige proximidade.

A

  esses dados e estudos somam-se os fundamentais sobre o terreno. Os solos argilosos de origem eocena onde crescem as vinhas do Castello di Montepò, depois de avaliados e medidos por um grupo de professores das Universidades de Pisa e Florença, foram considerados ideais para o cultivo do clone Sangiovese Grosso BBS11, patrimônio familiar exclusivo Biondi Santi que, há mais de um século e meio, deu à luz o Brunello di Montalcino. Para além dos aspectos geológicos e orográficos, os estudos microzonais são concentrados também nos índices vegetativos e nas características do microclima, recolhendo uma quantidade significativa de dados – atualizados anualmente – que levam todos à mesma conclusão: é nestes morros que a identidade dos vinhos da família Biondi Santi teria conservado sua essência. Uma identidade que responde não só ao Sangiovese, mas também a duas variedades internacionais como Merlot e Cabernet Sauvignon. Depois de ter defendido por muito tempo as terras dos homens, o Castello di Montepò é hoje o guardião da grande tradição enológica que o nome de Jacopo Biondi Santi representa, uma referência para um estilo enológico e um requinte apurado que marcaram a supremacia de Sangiovese entre os vinhos de excelência absoluta.

CASTELLO DI MONTEPÒ

A HISTÓRIA DO VINHO

Jacopo Biondi Santi soube explorar o grande potencial do território do Castello di Montepò historicamente adequado para a produção de uvas de excelência.

CASTELLO DI MONTEPÒ

A HISTÓRIA DO VINHO

Jacopo Biondi Santi soube explorar o grande potencial do território do Castello di Montepò historicamente adequado para a produção de uvas de excelência.

Siga-nos no Instagram
[social_board id="2140" type="carousel"]
Castello di Montepò – Jacopo Biondi Santi